--- Frase de Agora! ---
"A água é para os escolhidos
Mas como podemos esperar que sejamos nós..
... eu e você?"

Máquina do Tempo: Vaga Viva do Coletivo Ideia Nossa. A única vaga viva do lado de cá da ponte =) Vaga Viva do Ideia Nossa

Destaque da Semana: Onde está o sol que estava aqui?
Ladrões de sol, crise hídrica e êxodo rural

domingo, 4 de agosto de 2013

Mas afinal onde está a felicidade?

Por Carine Farias

Dizem que a felicidade está dentro, mas dentro do que? Dentro de um tubo em um mar perfeito? Dentro de uma geladeira lotada de gostosuras? Dentro da conta bancária gorda? Nada disso...

Muitos acreditam que só encontramos a felicidade quando atingimos algum objetivo, quando conseguimos ter ou nos tornar aquilo que desejamos. Mas se considerarmos isso uma verdade absoluta, precisaremos de incessantes conquistas para sermos felizes de verdade. Isto nos confunde e nos faz crer que a felicidade é uma sensação passageira que depende de tantos outros fatores quanto a nossa imaginação puder alcançar.


O homem moderno é um ser desejante, ou seja, está sendo constantemente induzido a ter desejos e a acreditar que tem necessidades infinitas. Primeiro quer um carro e quando consegue fica feliz, mas logo essa sensação se vai e ele se sente incompleto novamente (provavelmente no primeiro engarrafamento ou na hora de pagar o IPVA). Logo surge outra “necessidade”, ele quer uma casa, mas logo que consegue, percebe que isso também o levou a querer, um sofá novo e uma televisão maior. A cada coisa que é conquistada, surgem outras meia dúzias de coisas que também podem ser alcançadas. E assim ele vai vivendo a sua vida, contentando-se com conquistas efêmeras e com a falsa sensação de saciedade, sendo levado de desejo em desejo a lugar nenhum.

Enquanto a felicidade for considerada um sentimento que depende de coisas, ela dificilmente será obtida de fato, dificilmente ela será verdadeiramente sentida. Os ensinamentos hindus nos dizem que a felicidade já é a nossa natureza e que está dentro de nós esperando para ser sentida e nós de maneira desavisada a projetamos em coisas fora de nós. Em outras palavras, a felicidade não precisa ser buscada ou alcançada, pois ela já é nossa essência, ela é nossa natureza. Vivemos em um estado contínuo de equivocação, achando que precisamos procura-la e encontra-la em algum lugar que não o aqui agora. Esta é, segundo estes ensinamentos, nossa maior fonte de sofrimento e frustração e para saná-la é necessário que compreendamos nossa verdadeira natureza, que possamos nos conhecer e estar presentes a cada instante, atentos ao aqui agora e ao que é realmente essencial para nossa vida e que não está à venda em nenhuma loja. Ser você mesmo, se aceitar como é e acreditar que já tem o essencial são importantes passos para conhecer a verdadeira felicidade. Muitas vezes, para isso, serão necessários alguns questionamentos individuais, uns bons momentos de silêncio, alguma revisão de valores e uma boa dose de auto-conhecimento. E agora, está pronto para ser feliz?

3 comentários:

Aline Temoteo disse...

Ahhhhhh muito bom! Adorei o texto, adorei o tema e sabe, me lembrou uma música da Zelia Duncan: http://www.youtube.com/watch?v=6sIbc_fc8K8

"Peço a todos com licença
Vamos liberar o pedaço
Felicidade assim desse tamanho só com muito espaço" =]

Felipe Pox disse...

Acho incrível esses "vendedores" de embalagem contidas tudo o que é necessário para alcançar a tal felicidade.

O mundo gira e ser feliz acaba se tornando uma obrigação contratual da sociedade!
Você não é nada se não se sentir feliz?

Pois ora, nós temos tristeza para dar valor à alegria.
Tristeza também faz arte. Afinal:

"Sou um animal sentimental me apego facilmente ao que desperta meu desejo" (Sereníssima - Legião Urbana)
Seja numa hora venturosa ou nos instantes melancólicos.

Texto excelente e com um tema que requer destreza e coragem ao ser abordado.
Empolgante ao expor a teoria Hindu que me proporcionou sede do saber sobre a tal.

Beijo, parabéns. :)

Janaina disse...

Ótimo texto!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...