--- Frase de Agora! ---
"A água é para os escolhidos
Mas como podemos esperar que sejamos nós..
... eu e você?"

Máquina do Tempo: Vaga Viva do Coletivo Ideia Nossa. A única vaga viva do lado de cá da ponte =) Vaga Viva do Ideia Nossa

Destaque da Semana: Onde está o sol que estava aqui?
Ladrões de sol, crise hídrica e êxodo rural

domingo, 23 de março de 2008

Sobre Animae Partus

Levando em conta que o diálogo não é um diálogo e sim um desabafo de Deus.
O fato de ter mais de uma voz, leva a crer que Deus não é de nenhum sexo e ao mesmo tempo dos dois sexos.
Ele não era, mas veio a ser, não se lembra quando não o foi, logo, a humanidade sempre teve de acreditar em um Deus, mas foram diversos deuses até que "o um Deus" fosse predominate nas culturas humanas.
Talvez ele tenha sido formado na escuridão, a partir da escuridão, pela escuridão. Big bang? Não sei, mas fato é que Deus não se criou. Na escuridão das dúvidas humanas ele foi crescendo.
Nunca sabemos quando estamos nos transformando em algo, quando estamos sendo algo, é simplesmente imperceptível. Deus não percebeu quando foi criado, mas se pudesse lembrar entenderia tudo.
Deus também tem suas dúvidas e coisas a serem explicadas, aí ele começa a achar que sempre esteve ali e não foi criado, ele apenas se esqueceu pelo fato de estar eternamente ali. A eternidade daria mesmo esse feito? Bem, onipresença exige oniausência? Estar para todos é como estar para ninguém?
Mas Ele é como seus criadores, Deus é a imagem espelhada das bondades humanas - como Feuerbach já havia relatado - e tem sentimentos semelhantes, como a sede por conhecimento e também percebe padrões e faz correlações, mas ainda lhe falte algo, talvez ele precise de um Deus, como a humanidade precisa para fazer tal coisa.
Novamente dúvidas, Ele não sabe ao certo quem é, mas lá no fundo da consciência, onde bem perto do ínicio, bem perto da criação, bem perto da humanidade, resolve chamar-se de Deus e passar a eternidade tentando descobrir quem é.
Me pergunto agora: talvez se Deus tenha resolvido passar a eternidade tentando descobrir quem é, isso explica muita coisa, e vários por quês de como as coisas andam, resta à humanidade tomar partido e mudar o mundo.

2 comentários:

V - luaR disse...

Perfeita análise da música, e das idéias contidas nela, porem nela, a predominancia do assunto abordado é: Quem é Deus, e por fim ele se auto domina Deus. Mas em meu conceito a Música se relaciona mais com o ser humano (humanidade) tentando descobrir verdadeiramente quem é Deus, é algo mais engajado no ato das pessoas para com Deus, chegando ao fim que todos sabemos não saber quem é Deus !

Álvaro Diogo disse...

o foda das músicas do Daniel, que neste aspecto se assemelham muito com as do Roger Waters e seus parceiros do Floyd, é a abertura pra 300 interpretações diferentes em 300 angulos possiveis, é mt bom.. é de uma subjetividade objetiva
foda!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...