--- Frase de Agora! ---
"A água é para os escolhidos
Mas como podemos esperar que sejamos nós..
... eu e você?"

Máquina do Tempo: Vaga Viva do Coletivo Ideia Nossa. A única vaga viva do lado de cá da ponte =) Vaga Viva do Ideia Nossa

Destaque da Semana: Onde está o sol que estava aqui?
Ladrões de sol, crise hídrica e êxodo rural

sexta-feira, 19 de dezembro de 2008

Ônibus Lotado? Culpe o automóvel.


Você é um dos milhões de habitantes de Sampa que pega ônibus todos os dias? Será que já pegou um coletivo em horário de pico? Se você, como eu, já teve essa experiência, sabe que não é nada agradável. E provavelmente pensou que gostaria de estar em um dos carros do outro lado da bolha, fechados no ar-condicionado e som ambiente. Naquelas confortáveis poltronas de 30, 40, 90 mil reais. Sem ninguém te encoxando, respirando no seu cangote. E já que estamos falando de como é ruim andar de ônibus, porque não pensamos logo num dia de chuva, em que, além de ficar em pé no trânsito, você tem que agüentar aquele bafo quente porque ninguém abre a janela.

Pois é. Se nessas situações você fica put@ com a qualidade do transporte público, é bem provável que esteja bravo com a coisa errada. Boa parte da culpa do ônibus lotado é do próprio congestionamento. Isso porque, por mais ônibus que existam no mundo, se eles ficam parados no lugar, vão enchendo cada vez mais. Pode prestar atenção: assim que o trânsito anda, passam ônibus vazios.

Vamos mudar de modal e talvez fique mais claro o que acontece no trânsito. Você, espero, já pegou o metrô alguma vez. Tente se lembrar de um dia em que estava lá, na estação Paraíso, e chegou um metrô da Linha azul. Rapidamente a plataforma para quem vai para a Vila Madalena (Linha Verde), que estava vazia, se enche. Aí, chega um metrô e a plataforma se esvazia novamente. Esse é o fluxo normal, pensado para sempre desafogar os novos usuários que chegam.


Agora lembre daquele dia em que o intervalo normal, que é de 1,5 minuto a 3 minutos, aumentou para, digamos 8 minutos. Nesse meio tempo, 3 ou 4 composições chegam e mais pessoas vêm da rua. Aí, a plataforma fica completamente lotada e, mesmo que o próximo trem para a Vila venha completamente vazio, ele não conseguirá escoar toda essa gente. Será preciso alguns trens para que isso aconteça.

Da mesma forma, um ônibus preso no tráfego é um alvo fácil para a superlotação. Assim, o problema do transporte coletivo na cidade passa, e muito, pelo trânsito em si. Se não há corredores de ônibus segregados do trânsito normal, não há fluidez e, conseqüentemente, os ônibus enchem. E o mais interessante é, nessas horas, olhar em volta e reparar nos grandes causadores do trânsito: os carros.

Você está dentro de um ônibus lotado com, provavelmente, 60 outras pessoas. Aí você olha em volta e vê os carros com 1 pessoa. São 60 carros no total ocupando 3 quarteirões com 3 faixas. E você, dentro de um só ônibus ocupando 1 faixa de rolamento e pouco mais de 15 metros de comprimento.

Responda em voz alta: quem causa o trânsito?

Faça mais. Olhe para a calçada, numa Av. Paulista, por exemplo, e conte as pessoas. Depois, olhe para a rua e conte as pessoas nos carros. E aí, onde tem mais gente? Quem ocupa mais espaço? Uma via tem a capacidade média de levar 2 mil pessoas em carros, 9 mil pessoas em ônibus, 14 mil em bicicletas e 19 mil a pé.

Quem mesmo? O automóvel.

Foi mais ou menos assim que eu decidi não possuir um carro. E olha que eu gosto muito de automóveis, como já disse neste post. Era um dia de greve de metrô e eu estava na Van que fazia um trajeto do meu trabalho para a estação Vila Madalena. Por causa da greve, tivemos que ir até a Clínicas e o caminho passava pela Heitor Penteado. Estava tudo parado. Dentro da van, 16 pessoas. À nossa volta, 16 carros com 1 pessoa cada. Tive um insight: o sonho de Henry Ford é impossível. E ali mesmo decidi que possuir um automóvel é um direito, não um dever, muito embora a propaganda e a nossa sociedade exerçam uma enorme pressão para que se pense o contrário.

Abaixo, vídeo-bônus sobre a eficiência de transporte público versus privado.


Foto do ônibus: cortesia de Paulo Fehlauer via Flickr.

Foto da Calle Inteligente: divulgação da Fundación Ciudad Humana, la organización World Carfree Network y la Alcaldia Mayor de Bogotá.

Créditos: http://nossoquintal.org/

6 comentários:

Bah'* disse...

Transporte coletivo é desconfortavel e me deixa enjoada >.<

e gente, andem a pé :D

andar a pé emagrece e fortalece xD

acho que tinha que ser igual Futurama (um desenha que eu assisti faz um tempão) cabines que você entra e ela leva você pra outro lugar :D, não é legal? você nem se cansa, e é bem rapidin, você só não pode comer nada antes disso xD

Mah Mendonça disse...

É, realmente, não tem do que discordar, a culpa é dos carros! Mas bem que podiam melhorar o conforto dentro do onibus né? Ter alguém pra limpa-los ao fim do dia, por exemplo, já seria uma boa iniciativa pra deixa-los mais confortáveis. Linhas como o nosso conhecido Jd.Paulo VI desanimam qualquer passageiro!

V - luaR disse...

É Bah, precisamos mesmo é da técnica Teletransporte do Goku, só precisa de 2 dedinhos na testa e muita imaginação.

A culpra é sim dos carros, mas não só destes. O Brasil desde sempre teve problemas com transportes, a começar pelos antigos trens, que faziam voltas e voltas e mais voltas andando muito mas percorrendo pouco. Isso porque passavam por todas as fazendas para venda de café e outros...
Desde então os transportes nasceram disso e foram se expandindo para a periferia, esta que é muito grande, e poucas vias decentes chegam até lá...

Os Recursos todos de transportes novos, são instalados primeiramente no centro, ao lado rico da população, e a principal massa locomotiva que esta na periferia depende do desconfortável transporte coletivo.

Por que não fizeram as linhas de trem iniciando pela periferia, e ajudando a massa locomotiva para chegar ao centro ? .... porque não começaram como uma teia de aranha de fora para dentro ? .... Interesses de quem manda e tem poder é o que prevalece não só no sistema de transporte, mas no brasil inteiro.

V - luaR disse...

Culpa*

- YuH disse...

Como o Ge disse...
Discuti uma vez com ele essa teoria de começar da periferia ao centro...

Mas a periferia nasceu depois do centro... Ou seja...não tinha pq motivos começar de lá...
Com o tempo a periferia foi se expandindo mais e mais...
Ai começaram a fazer essas novas linhas de trem/metro, por isso existem linhas novas...como a "4" que vai sair daqui uns 3~5 anos...
Mas se reparar, todas se ligam a principal [ linha azul e vermelha ]

Mas voltando ao assunto de transporte público...
Eu não diria que seja só culpa dos carros...
Mas como do governo que não sabe administrar...
Pq ano passado havia bem mais onibus de uma lihna circulando...

Outro dia fui pegar um onibus pra voltar pra casa...e esperei quase uma hora pra pega-lo...Mas ano passado eu pegava o mesmo e demorava no máximo 15 min...
Ou seja...o Governo da cidade de SP...retirou vários onibus de circulação...Piorando a qualidade do transporte público.

Mas pq as pessoas usam os carros ?
Talvez pela má eficiência do transporte público...
Na minha opinião...deveria haver uma Revolução...e se semelhar a cidades que o transporte público é eficiente...como em Curitiba...ou em Londres.xD

V - luaR disse...

Bem, disse eu também em nossa conversa, e volto a repetir aqui.... grande parte da pobresa nasceu no centro mesmo, e depois que surgiram as periferias... ams durante a evolução das linhas de metro e trem, ja haviam periferias, e cada vez mais empurravam os pobreas pra longe construindo edifícios no centro e valorizando o centro... formando assim também a periferia.

A ma eficiencia com certeza faz parte dos motivos do uso do carro, mas também pela viabilidade, segurança... as pessoas não precisam decer em um ponto e ainda assim caminhar até em casa. Esse foi um dos principais motivos da venda alta em certo tempo no brasil.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...