--- Frase de Agora! ---
"A água é para os escolhidos
Mas como podemos esperar que sejamos nós..
... eu e você?"

Máquina do Tempo: Vaga Viva do Coletivo Ideia Nossa. A única vaga viva do lado de cá da ponte =) Vaga Viva do Ideia Nossa

Destaque da Semana: Onde está o sol que estava aqui?
Ladrões de sol, crise hídrica e êxodo rural

quarta-feira, 14 de janeiro de 2009

2008 e Alguns Versos Meus Parte III

27/04/2008

Lá embaixo, na curva do rio
Os últimos raios de sol vão dando adeus
Lá embaixo, no meio do engarrafamento
Centenas de pessoas ainda procuram por Deus

Aqui em cima, eu fico a observar o mundo
Pela janela de fora, tentando compreender
Aqui em cima, no aperto do horário
Dezenas de pessoas e lugares para ceder

Lá fora, a paisagem se degrada
A humanidade grita por socorro
Lá fora, entre a multidão
Eu, confuso, corro

Aqui dentro, dentro mesmo
Busco por respostas para tentar mudar
Aqui dentro, não lá fora
Posso encontrar o que quiser encontrar?

02/05/2008

As nuvens cobriam o luar
A madrugada correu chuvosa
Hoje a manhã acordou fria e sem rimas
Hoje acordei sem vontade de rimar

Não quero escrever versos
Versos que todos estão acostumados a ler
Eu quero algo maior do que a confusão dentro de mim
Algo mais brilhante do que as sensações que não sei descrever

Há alguma espécie de brincadeira no ar?
Coincidências me arrepiam, mas não me fazem deixar
Há algo que sinto e tudo parece estar tão distante

Há alguma coisa que precisemos dizer?
Confirmações me espreitam, mas não me deixam ver
...Há algo que um soneto não pode expor em um semblante...

23/05/2008

Não quero mais amores oscilantes
Muito menos amores platônicos
Quem sabe a sorte de um amor tranqüilo
Quem sabe mesmo se viver distante

Não quero ficar nu em versos
Por isso escrevo, apago e escrevo denovo
E o que não escrevo escondo na minha mente
E o que talvez seja dito está escondido nos anexos

Quero mais do que se esconde nas entrelinhas
Muito mais da sintonia natural
Quem sabe quando minha voz voltar ao normal
Quem sabe mesmo se perdê-la

Quero ficar pra entender melhor
Por isso faço hora e tardo em ir,
E o que não digo talvez te faça rir
E o que escrevo talvez não seja lido

27/05/2008

Certeza x Ilusão

Tijolo por tijolo
Construímos nossas certezas no vão
Tão próximas das ilusões
Que por vezes vemos a certeza e dizemos não

27/05/2008

Poeta de um Novo Mundo

Ei, poeta de um novo mundo
Trancado na minha mente

Esperando o músico durmir
Esperando o escritor passear
Esperando para divagar
Esperando para sorrir

Não pesque rimas ao ar
Faça mágica com o que logo cai no papel
Não importa se é uma escultura de fel ou mel
Faça os versos para viajar, sair, curtir, sorrir e amar

Mesmo usando de ferramentas antigas
Mesmo que não soe bem aos seus ouvidos

10/06/2008

Um Sopro de Vida

Um sopro de vida
E vivendo, nossos cabelos voam
Voando nos levam além
Bem além do que os olhos podem ver
Sentir ou apreciar
Como se aprecia uma manhã de primavera
Onde cada flor que nasce é um amor novo que floresce
E a humanidade carece de flores
E a humanidade carece de um sopro de vida

Um sopro de vida
Para fazer todos esses cabelos voarem (e levar embora os maus pensamentos)
Para fazer todos irem bem além (e penetrarem no âmago)
Além do que todos esses olhos sonharam em ver (uma humanidade pela paz e pela natureza)
Sentir ou apreciar (os quatro elementos: paz, amor, felicidade e liberdarde)
Como uma bela manhã de primavera (forrada de sonhos em flores)
Onde cada flor que nasce é um amor novo que floresce (vamos cantar o amor)
E a humanidade carece de flores
E a humanidade carece de um sopro de vida

Um sopro de vida
...

07/06/2008

Uma hora da manhã
Como adoro escrever na penumbra da noite
Na janela crio meus versos
E pra lua os exibo mesmo sem rimas

O sol logo nascerá
E eu aqui, no meu pequeno mundo sem órbita

Deslocado vago por aí
Procurando soluções para os erros da humanidade

Hoje não quero rimas
Hoje quero algumas soluções
Hoje quero voar mesmo sem ter pra onde ir
Hoje não quero mais ver todos esses olhos cegos

Uma hora da manhã
Como é bom ouvir uma canção que te lembra alguém
Nos meus pensamentos
Me perco até me encontrar caminhando ao seu lado

O sol logo nascerá
E eu lá longe, observando todos daqui

Meio perdido
Fico me encontrando em versos alheios

Hoje quero ter o que escrever
Hoje não quero pensar em problemas
Hoje não quero ficar preso aqui no chão
Hoje quero assobiar e cantar minha luta pelos quatro elementos

2 comentários:

Álvaro Diogo disse...

o primeiro poema dessa parte eu musikei, assim q possível posto junto com brisas de outono...

Tony G disse...

Bravo! Estive lá nos marcadores e visitei "Brisas de outono".Muito bom mesmo!
Aguardo ansioso o post com os poemas musicados.
Flw

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...