--- Frase de Agora! ---
"A água é para os escolhidos
Mas como podemos esperar que sejamos nós..
... eu e você?"

Máquina do Tempo: Vaga Viva do Coletivo Ideia Nossa. A única vaga viva do lado de cá da ponte =) Vaga Viva do Ideia Nossa

Destaque da Semana: Onde está o sol que estava aqui?
Ladrões de sol, crise hídrica e êxodo rural

quinta-feira, 15 de janeiro de 2009

Viajando no Açaí

Pegando carona com --V--

Solidão, de manhã
poeira tomando assento
rajada de vento
som de assombração
coração sangrando
toda palavra sã
A paixão, puro afã
místico clã de sereia
castelo de areia
ira de tubarão
Ilusão, o Sol brilha por si
Açaí, guardiã
Zum de besouro, um imã
branca é a tez da manhã

Estaria o autor (Djavan) querendo dizer à sua maneira poética romântica, que ao acordar sozinho, na praia, no exato momento do nascer do Sol, ou porque lá dormiu, ou porque prá lá se dirigiu no intento de melhor espertar, pôs-se a refletir sobre suas emoções e chegou à conclusão de que a sua (dele) paixão, ou o seu (dele) medo de apaixonar-se, eram apenas ilusão, como o são os sons de assombração, a ira de tubarão, o clã de sereias ou ainda o castelo de areia (aqui metafórico) que, sob a luz clara da manhã mostram-se fantasiosos?
Quis ele dizer que o açaizeiro, a planta do açaí, figurou prá ele, como a única realidade tangível naquele momento de solidão, guardiã dessa solidão, do seu sono ou até mesmo de seus sonhos de paixão?
Estaria ele se referindo ao Estado do Pará? Afinal temos em nosso folclore o provérbio: ''Foi ao Pará, parou; bebeu açaí, ficou''.
Sei lá, só perguntando para ele...
Açai prá nós do Sudeste é só uma fruta, mas tem gente se inspirando e cantando essa fruta por aí.
Se alguém se interessar, no cifraclub pode ver algumas dessas antológicas composições musicais, como o "Reggae do Açaí" de Marcelo Adnet, ou "Açaizeiro Popular" de Maracatu Vigna Vulgaris e "Sabor Açaí" de Nilson Chaves.
De minha parte, vou continuar a viagem, na tigela do Açaí!

http://cifraclub.terra.com.br/cifra_lista.php?texto=a%E7ai&tipo=1&onde=1&nacordes=0

3 comentários:

Bah'* disse...

Ow.. essa música pra mim era só um monte de palavras com um ritmo legalzinho!! *-* Very Good

Álvaro Diogo disse...

análise maravilhosa assim como a música! Ótimo mesmo.

V - luaR disse...

Pois é, a gente tem o péssimo costume de se fechar para as percepções mais puras e imaginárias como está. Tinha eu também minhas "visões" a respeito do início dessa música, quando tentei entende-la, mas como dito no meu post, a parte do Açaí a mim não fazia sentido.

Eis como vi, imaginei alguém/ele simplesmente sentado num quarto, numa poutrona. Ali a tanto tempo que a poeira assenta. Rajada de vento sopra, com som de assombração, som que mais parece ilusão.... e ilusão que deixou o coração sangrando, toda a paixão impedindo nesta música tenha qualquer palavra sã ....

daí pra frente as idéias de praia com tubarão acabaram com minha teoria, rsrs...
mas bem, queria postar no comentário também minha percepção inicial.

e parabens pela dissecação Tony!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...